IMREA investe no desenvolvimento de pesquisas em reabilitação e novas tecnologias

  • Print
Uma das premissas do IMREA é desenvolver pesquisas que possam melhorar o impacto das novas tecnologias no funcionamento clínico e na compreensão dos mecanismos envolvidos na melhora clínica (motora, cognitiva, etc) dos pacientes em programa de reabilitação. Esses trabalhos são conduzidos pelo Centro de Pesquisa Clínica (CPC IMREA), formado por profissionais altamente capacitados na área acadêmica e da saúde.

O CPC atua fortemente no incentivo, ampliação e consolidação dos estudos clínicos produzidos com base nos dados coletados com pacientes, terapeutas e outros profissionais do IMREA. “É muito importante para o profissional da área de reabilitação quantificar de forma precisa a evolução clínica do paciente e, para isso, a equipe do IMREA utiliza instrumentos de avaliação (chamado de escalas) validadas cientificamente. As escalas selecionadas pelo IMREA são de uso internacional sendo possível comparar a melhora dos nossos pacientes com os pacientes tratados nos melhores centros de reabilitação do mundo”, comenta o neurologista Dr. Marcel Simis, Coordenador do Centro.

Dentre as atividades desenvolvidas em 2015, destacam-se a produção de 46 publicações entre artigos e resumos em periódicos científicos nacionais e, especialmente, internacionais – desde 2010, já foram publicados quase 300 trabalhos – e a publicação de 4 edições da revista científica digital “Acta Fisiátrica”, com 40 artigos publicados, além da orientação de pesquisas em trabalhos de pós-doutorado, doutorado e mestrado. Outro destaque do Centro de Pesquisa do IMREA é a participação em eventos nacionais e internacionais como 12º Congresso Mundial da Sociedade Internacional de Neuromodulação, no Canadá, e o 9º Congresso Mundial da Sociedade Internacional de Medicina Física e de Reabilitação, na Alemanha.

Segundo o coordenador do CPC, O “Laboratório de Robótica e Neuromodulação Aplicadas a Reabilitação” do IMREA possui uma das melhores estruturas do mundo e, nesse sentido, estão sendo desenvolvidos estudos em parceria com os melhores centros mundiais, como o “Center of Neuromodulation, Spaulding Rehabilitation Hospital, Harvard Medical School”, dirigido pelo Dr. Felipe Fregni. “O IMREA está gerando conhecimento para ajudar a entender e melhorar o tratamento de reabilitação dos pacientes, não só do Brasil, mas do mundo. A importância do trabalho nessa área está refletida nas publicações em revistas internacionais, além dos convites para participação de eventos mundiais”, comenta Marcel Simis.

Para 2016, o objetivo é trabalhar com parceiros para desenvolver tecnologias que possam otimizar os tratamentos e reduzir os custos, por exemplo, a versão de uso doméstico de estimuladores para correntes diretas, além de publicizar as ações para que a sociedade em geral conheça os trabalhos desenvolvidos pelo CPC IMREA.